Open/Close Menu Marcos Martins Advogados tem desenvolvido, ao longo de sua trajetória, perfil altamente especializado na prestação de serviços jurídicos.

Nathalia Brum
Advogada do Escritório Marcos Martins Advogados

Em decisão recente, a 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) entendeu que a corretora, responsável pela intermediação da compra e venda do imóvel, não pode ser responsabilizada pelos danos causados ao comprador em decorrência do atraso na entrega do imóvel pela vendedora.

O Tribunal de Justiça de São Paulo havia condenado, solidariamente, a incorporadora, a construtora e a corretora pelos prejuízos materiais sofridos pelo consumidor em razão do atraso na entrega do imóvel.

Entretanto, no julgamento do Recurso Especial interposto pela corretora, a 4ª Turma do STJ entendeu não ser possível a responsabilização da corretora pelos danos decorrentes do atraso na entrega do bem, uma vez que não há relação entre a conduta desta (intermediação do negócio) com o dano causado pelo descumprimento do contrato de compra e venda pela vendedora.

No voto que prevaleceu no julgamento do recurso, a Ministra Maria Isabel Gallotti defendeu que, por não haver falha na prestação do serviço de intermediação, nem envolvimento da corretora na incorporação ou construção do imóvel, não é possível seu enquadramento como integrante da cadeia de fornecimento a justificar sua condenação pelos danos causados ao comprador.

Assim, por maioria, foi dado provimento parcial ao recurso da corretora, afastando a sua responsabilidade pelos danos causados ao adquirente em função do atraso na entrega do imóvel.

AgInt no RECURSO ESPECIAL Nº 1.779.271 – SP (2018/0297009-0)

Powered by Rock Convert
Compartilhe nosso conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
CategoryInformativos
Write a comment:

*

Your email address will not be published.

logo-footer